PRINCIPAL

QUEM SOMOS

NOTÍCIAS

BIOGRAFIAS

ESTANTE

LEITURA

MATÉRIAS ESPECIAIS

MAPA DO SITE

LIVRO DE VISITAS

VÍDEOS

CONTATO

 

   

Escritores capixabas Pedro J. Nunes e Wilson Coêlho em Irupi

 

Clique aqui e veja mais.

 

 

 

Herbert Farias

Mecanismos precários

 

 

Publicado em 2010, o volume de contos Mecanismos precários, de Herbert Farias, é a consolidação de seu nome como um dos maiores contistas desta terra. O livro recebeu o Prêmio de Literatura da Secretaria de Estado da Cultura do Espírito Santo em 2009. O site Tertúlia coloca ao alcance do público leitor, gratuitamente, o texto integral do livro.

 

Clique na capa para acessar o livro.

 

 

 

O Sr. Joelho vai à fisioterapia

 

Quem veio atendê-lo foi uma jovem e simpática fisioterapeuta que dele se aproximou em passos angelicais e perguntou: – O senhor é o paciente das 6,45?

 

Dobrado sobre si mesmo, mal acreditando no que via, o Sr. Joelho respondeu que era ele mesmo o paciente das 6,45.

 

– Então tenha a bondade de me acompanhar – disse a bem-vinda aparição que o havia chamado. – Entre nesta salinha e deite-se na maca de exercícios com a cabeça sobre o travesseiro. 

 

Leia mais.

 

 

Isaac

 

Isaac Kerstenzky, meu orientador em curso de especialização, pedia-me para ir destrinçando alguns “pepinos” da “História do pensamento econômico” de Eduard Heimann. Tarefa pesada porque o autor não era do estilo “digestivo”. Mas aqueles meses de mergulho na prosa desse autor “que não brinca em serviço” – como dizia Isaac – resultaram na captura de pérolas do pensamento voltado ao econômico. Um mergulho que ficava mais agradável e proveitoso quando saíamos da Fundação Getúlio Vargas, em Botafogo, Isaac comprava pão numa padaria da Marquês de Abrantes e seguíamos a pé, esticando os assuntos, até a Honório de Barros, onde ficava sua casa.

 

Leia mais.

 

 

 

 

Singela história de amor e traição

 

Vou lhes contar uma singela história que ouvi outro dia de um eletricista que veio instalar em minha casa um ventilador de teto. Não lhe pedi que me contasse, não o provoquei a me contar, mesmo tendo percebido que ele necessitava desesperadamente contá-la a alguém. Como me contou. E foi assim:

 

― Minha ex-mulher é cantora gospel ― ele falou um pouco assim como se quisesse tirar uma casquinha de um possível prestígio que a profissão de sua ex-mulher pudesse lhe dar.

 

― Ex? ― perguntei eu quando queria perguntar: gospel?

 

Leia mais.

 

 

Dois graus a Leste, três graus a Oeste

 

Enquanto lia a primeira linha do divertido livro de Reinaldo Santos Neves, “Dois graus a leste, três graus a oeste”, estava acontecendo mas eu ainda não sabia meu primeiro contato “sério” com o jazz. Até ali apenas havia tentado algumas vezes, com certo esforço, ouvir, entender e, quem sabe, aceitar o jazz. Muito difícil!

 

Pensar nisso me fez lembrar do meu tio, com sua garrafa de faixa azul gelada já às 9 horas da manhã, dizendo pra mim e pro Chico que cerveja precisa começar a beber ainda jovem, para poder aproveitar quando adulto.

 

Leia mais.

 

 

 

Depoimentos de Afonso e Álvaro Abreu sobre Rubem Braga

Pedro J. Nunes fala de seu documentário sobre o Parque Moscoso

Zé Benedito: carreiro, vídeo de Pedro J. Nunes

 

O escritor e poeta Luiz Busatto fala de seu livro Nomes e raízes italianas

 

Clique aqui para acessar o acervo de vídeos.

 

 

 

"Sabalogos" é palavra criada por Renato Pacheco para dar nome a um grupo de amigos que se reúne desde 1989, aos sábados, pela manhã, na Livraria Logos. O grupo já chegou a ter mais de vinte frequentadores

que aí se encontram sob um signo muito simples: a amizade. Apesar de tantos anos juntos, e de tantos descaminhos e perdas, o grupo continua a se reunir, mantendo viva a memória daqueles que se foram e agregando novos amigos. completando este ano vinte e dois anos de existência. Leia mais.

 

 

A Festa do Carro de Boi é uma entusiástica festa popular que acontece todos os anos, em setembro, em São José do Calçado, uma pequena cidade no sul do Espírito Santo. Bois carreiros, carros de boi e seus carreiros e candeeiros e a multidão seguem pelas ruas da cidade numa festa fabulosa. Leia mais.

 

 

O Auto do túmulo de Anchieta, de Luiz Guilherme Santos Neves, tem como inspiração o nobre túmulo de Anchieta, embora tratado com um toque de farsa amena e risonha. Dir-se-ia que também com um toque de carinho, sendo, pois, uma farsa amorável. Publicamos o texto integral. Leia mais.

 


Inscreva-se em nosso informativo de atualização. Clique aqui.

 

Ao assinar nossa newsletter, você receberá apenas informações sobre atualizações e promoções

do site. Seu endereço não será fornecido a nenhum banco de dados ou usado para fins comerciais.


 

 

Última atualização:

22 de outubro de 2014.


Curta esta página ou indique para seus amigos


Este site mantém sua funcionalidade e

melhor visualização no Internet Explorer


     © 2005 Tertúlia

     Direitos reservados

Site de utilidade pública, sem fins lucrativos

 

Biografias   .:.   Estante   .:.   Fale conosco   .:.   Leitura   .:.   Livro de visitas   .:.   Mapa do site

Matérias especiais   .:.   Notícias   .:.   Quem somos   .:.   Tertúlia vídeo